Gothic Ocultismo Literatura Música Guestbook Parcerias Contato



Darkseed é mais um dos inúmeros jogos de “adventure point and click” dos anos 90. Esse tipo de game era uma febre entre osjogadores de PC e sua jogabilidade consiste em comandar um personagem apenas clicando o ponteiro do mouse no cenário e escolhendo ações num menu. Mas Darkseed teve um diferencial em relação aos outros. A arte do jogo foi toda feita por ninguém menos que H. R. Giger. Não conhece? Mas pode ter certeza que conhece a sua obra. Seu estilo biomecânico é responsável pelos cenários e criaturas do outro mundo conhecidos por nós apenas como Alien. Isso mesmo! Aqueles seres repugnantes que adoram perseguir Sigourney Weaver por onde quer que ela vá!

Mas dessa vez a tenente Ripley e aquela raça específica do filme Alien nada tem a ver com o jogo. Em Darkseed você comanda Mike Dawson, um escritor que compra uma casa antiga (pra variar com todos os móveis do antigo dono), bonita e fica localizada numa vila aconchegante e calma. È tudo que um escritor precisa. Mas eis que, logo na primeira noite na casa, Mike tem um pesadelo estranho onde uma espécie de sonda esquisita implanta algo no seu cérebro! Ele acorda com uma bruta dor de cabeça e começa a se questionar se foi realmente apenas um sonho.

Então começa o jogo. Suas ações, a partir do momento em que acorda, poderão te matar em questão de minutos se não tomar a decisão correta. O fato é que realmente algo foi implantado em sua cabeça. Mas “o que”, “por que”, “por quem” e principalmente “como se livrar disso” cabe a você descobrir. No universo do jogo existe um mundo alienígena paralelo ao nosso. Ações tomadas em um podem ter conseqüências no outro. Mike acaba se vendo envolvido nessa situação já que na casa existe uma passagem entre os mundos. E digamos que os aliens têm seus interesses de dominação global como qualquer alienígena que se preze.

Durante sua jornada, é necessário conversar com muitas pessoas na vila para descobrir o que realmente está acontecendo. É muito importante também ficar de olho no tempo. Sim...Você tem um relógio e é preciso saber a hora correta de ir aos lugares. Afinal você não vai a uma biblioteca às 3 da madrugada...Nem espera que o carteiro passe na sua casa nessa hora. As lojas fecham às 18:00 e se quiser falar com alguém ou comprar algo deve respeitar esses horários. Se alguma pessoa marcar um encontro, é preciso que não se atrase, senão a pessoa vai embora e pistas vitais podem deixar de serem pegas. Ações incorretas também podem resultar na morte do personagem. Deixar de dormir na hora certa ou não tomar um analgésico quando ele se queixar de dor pode fazer o cérebro de Mike literalmente explodir! As pistas estão espalhadas por todos os cenários, desde a mansão, um cemitério, centro da cidade com biblioteca, delegacia e, é claro, o “Darkworld”.

O jogo foi lançado pela Cyberdreams em 1992 para PC e teve continuação em 1995. Como curiosidade podemos citar o fato do produtor do jogo ter sido digitalizado para encarnar o personagem Mike Dawson, que por sinal é seu nome verdadeiro! Os cenários são bem detalhados e complexos. Acaba sendo fácil deixar passar algo despercebido. O mundo alienígena é arrepiante e mesmo que você não soubesse que foram cenários criados por H.R. Giger , acabaria se lembrando inconscientemente do filme Alien. Na sala de estar da mansão, por exemplo, podemos ver alguns quadros obscuros...E adivinhe a figura de quem aparece em um deles?