Gothic Ocultismo Literatura Música Guestbook Parcerias Contato



O surgimento da banda Bauhaus ocorreu em 1978, na cidade de Northampton, Inglaterra. Os irmãos David Jay (baixista e vocalista) e Kevin Haskins (baterista) criaram o The Craze, que tinha uma proposta e uma sonoridade próxima ao punk rock. Ao lado dos amigos Daniel Ash e Dave Exton, realizaram a primeira apresentação na cidade. Mas a formação definitiva viria apenas com a entrada de Peter Murphy; um amigo de Daniel Ash que foi convidado para ser vocalista, mesmo sem nunca ter cantado em nenhuma banda. A dupla Daniel Ash e Peter Murphy deu início as composições. Ao mesmo tempo, os convites e os primeiros shows na cidade incentivavam os jovens que se apresentavam já com o nome S.R, neste momento, com Chris Barber no lugar de David Haskins. Pouco tempo depois, David voltou a ocupar seu lugar e Chris deixou a banda. Então o nome também foi alterado para Bauhaus 1919. Esta era uma referência a Escola de Arquitetura e Desenho Industrial da Alemanha inaugurada em 1919, e fechada pelos nazistas em 1933. Logo depois, passaram a se chamar apenas Bauhaus.

Ao completar um ano de vida, a banda entrou no estúdio Small Wonder para gravar seu primeiro single, intitulado Bela Lugosi's Dead. Uma referência a morte do ator Bela Lugosi em 1956, que se tornou conhecido após sua interpretação no filme Drácula, em 1931. A capa do single trazia o cartaz publicitário do filme, e na contracapa foi colocada uma cena de O Gabinete do Doutor Caligari, de 1919. Motivos mais do que suficientes para que fossem rotulados como góticos. Porém, Peter Murphy chegou a declarar: "Nós nunca fomos góticos. Fizemos uma música de brincadeira, uma ironia e um monte de idiotas no mundo começou a nos chamar de góticos, nunca fomos, era uma ironia, uma única música com o tema, achamos esses caras loucos, nós nunca fomos e nunca seremos góticos. Além disso, a faixa título deste single durava mais de nove minutos. Uma verdadeira afronta as rádios". Em 1980 a banda lançou três singles: Dark Entries, Telegram Sam e Terror Couple Kill Colonel, pela Axis Records. Em setembro fez a primeira apresentação nos Estados Unidos. O primeiro álbum não tardou. O disco In The Flat Field foi um marco na carreira. Os temas diversificados das músicas incluíam a crucificação de Cristo, como na faixa Stigmata Martyr que conta com citações em latim.

No ano de 1981 o Bauhaus mudou de gravadora. A Beggars Baquet contava com uma estrutura de divulgação mais forte e a banda lançou dois singles: Kick in the Eye e Passion of Lover. Logo após o segundo álbum da carreira, denominado Mask. Neste disco, a música de destaque é Of Lillies and Remains, que tem uma atmosfera surreal e mórbida. Neste momento ficou evidente o amadurecimento musical dos rapazes ingleses. A popularidade era tanta que no ano seguinte, foram convidados a compor a trilha sonora do filme The Hunger (Fome de Viver), e atuaram ao lado de David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon. Seguem mais dois singles que fortalecem a discografia: Searching for Satori e Spirit.

O primeiro disco ao vivo foi gravado em Londres e se chamava Press the Eject and Give Me that Tape. O single que trazia a faixa Ziggy Stardust, de David Bowie, confirmou a ascensão que o Bauhaus conseguia a cada lançamento. Ainda em 1982 foi lançado o disco The sky's gone out. No início de 1983, foi realizada uma turnê pela França, Grécia, Israel e Japão. Mais dois singles foram lançados: Lagartja Nick e She's in Parties. Alguns meses depois, o Bauhaus emplacou o álbum Burning from the inside e o fim da banda foi anunciado. Kevin, David e Daniel Ash prosseguiram com outra banda chamada The Love & Rockets. O vocalista Peter Murphy seguiu carreira solo. Logo após, a gravadora lançou uma coletânea intitulada Bauhaus The Singles 1981-1983.

Em 1997 os ex-integrantes se reuniram e emplacaram o disco Live in Studio, para comemorar os vinte anos de Bauhaus. No ano seguinte foi realizada a turnê Ressurrection Tour, que rendeu o disco Crackle. No mesmo ano ainda surgiu mais uma coletânea chamada Gotham. Entre singles e álbuns, a discografia do Bauhaus contém mais de vinte trabalhos. Porém, os cinco discos lançados quando a banda ainda estava ativa, somados aos três lançados em seu breve retorno nos anos 90, compõem a base da carreira do Bauhaus.